Guia de Compras 2016 - Revista de Vinhos

A região está bem e recomenda-se. Ainda que, à primeira vista, possam resultar confusas, as novas

designações Regional Tejo e DOC DoTejo acabaram por livrar a região das conotações negativas que as

memórias mais antigas ainda guardam sobre os vinhos ribatejanos. Sem dúvida uma injustiça para os

vinhos de hoje, que nada têm a ver com os de antigamente.

São cada vez mais os bons vinhos do Tejo no mercado, vinhos bem feitos, brancos e tintos cheios de

fruta, suaves, apelativos, e, muitas vezes, a preços bastante competitivos. Mesmo os vinhos de gama

alta, capazes de catapultar o Tejo para o grupo das regiões portuguesas de maior prestígio, começam a

aparecer com regularidade e consistência cada vez maior, oriundos de casas mais clássicas ou de

produtores recentes, uns e outros manifestando já uma forte cultura de qualidade. Por tudo isto, o Tejo

vai ser cada vez mais uma região a ter em conta ao longo dos próximos anos.

Descarregar PDF para ver o artigo na íntegra Guia de Compras 2016 - Revista de Vinhos